shutterstock_313649189

O nascimento dos primeiros dentes de leite, passando pela fase das janelinhas, até a dentição permanente é um ciclo que faz parte da infância de todo mundo. Além dos cuidados com a higiene bucal, para uma dentição forte e saudável, há muitas dúvidas e curiosidades sobre esse processo.

Então, para ser uma mamãe nota 10 em dentes de leite preparamos esse post especial. Confira!

Por que chamamos dentes de leite?

O nome técnico para essa primeira dentição é dentes decíduos, o que não soa tão fofo quanto dentes de leite. Porém, o motivo para chamarmos dessa maneira está relacionado a cor, bem branquinha, e a textura que lembram o leite e, também, ao fator da dentição temporária ser algo característico dos seres que mamam quando nascem (mamíferos).

Quando os dentes de leite começam a nascer?

Os dentinhos de leite começam a ser formados por volta da sexta semana de gestação, mas só aparecem mesmo após o quarto mês de nascença. Ocasião que o bebê começa a sentir bastante coceirinha na gengiva e pode ficar irritadinho.

Qual a ordem de nascimento dos dentes de leite?

Apesar de não ser uma regra, normalmente, a ordem de aparecimento dos dentes de leite é a seguinte:

— dentes incisivos inferiores (dos 5 aos 12 meses);

— dentes incisivos superiores (dos 7 aos 10 meses);

— dentes laterais superiores e inferiores (dos 9 aos 12 meses);

— primeiros molares superiores e inferiores (dos 12 aos 18 meses);

— caninos superiores e inferiores (os 18 aos 24 meses);

— segundos molares inferiores e superiores (dos 24 aos 30 meses).

Curiosidade: os dentes de baixo nascem antes dos de cima e os dentinhos surgem aos pares, sempre um esquerdo e um direito.

Para que servem os dentes de leite?

Basicamente, eles têm uma função provisória, auxiliando na trituração dos alimentos, para facilitar a alimentação e digestão, e no preparo da musculatura do maxilar para o nascimento dos dentes permanentes.

Por que os dentes de leite caem?

Enquanto os dentes permanentes estão crescendo, eles vão corroendo e diminuindo a raiz dos dentes provisórios, o que faz com que esses fiquem molinhos e, consequentemente, caiam para dar lugar ao permanente que está nascendo.

Pode arrancar o dente de leite?

Aquela história de amarrar o dente com uma linha no trinco da porta, ou comer algo duro para o dente cair não é muito recomendado pelos especialistas. Isso porque esses métodos podem ser agressivos, machucando a gengiva e ocasionando danos ao ciclo natural do dente.

O correto é deixar o dente cair sozinho, o que pode ser difícil já que a criança fica brincando com o dente molinho. Então procure distrair a criança ou procurar um dentista para ter orientações mais precisas.

O dente de leite não cai, e agora?

O processo de troca dos dentes pode durar dos 4 até os 12 anos. Entretanto, fatores como falta de espaço ou inexistência do dente permanente, gengiva muito fibrosa e problemas no crescimento podem ocorrer. O recomendado é visitar um dentista regularmente, para que o especialista faça o acompanhamento preciso de cada caso.

Qual a diferença do dente de leite e do dente permanente?

Basicamente, os dentinhos de leite são menores, mais clarinhos, possuem menos camada de esmalte e tem a raiz mais estreita.

O que fazer com o dente de leite?

A tradição diz que a criança deve colocar o dente que caiu embaixo do travesseiro, para que a fada do dente leve embora e deixe uma moedinha. Essa brincadeira é uma forma lúdica de estimular a criatividade do seu filho, além de ser uma fase descontraída entre papais e filhotes. Mas, você sabia que é possível armazenar em laboratório o dente de leite que caiu?

Assim como o cordão umbilical, os dentes de leite são fontes de células-tronco mesenquimais multipotentes, ou seja, células-troncos que podem ser cultivadas a fim de seres usadas futuramente em procedimentos de regeneração de tecidos, tanto pelo próprio doador quanto por membros da família

Como cuidar dos dentes de leite?

Por fim, a higiene bucal é muito importante para assegurar a saúde sistêmica dos pequenos. Durante o processo de troca de dentes, o seu filho fica mais vulnerável as bactérias e cáries, por isso, a escovação entre refeições, assim como o uso de fio dental deve ser estimulada e orientada. Inclusive, nesse post ensinamos como cuidar dos dentes das crianças!