Links da Semana #39

14.11| Links da Semana

Links da Semana

A cada semana, você encontrará recomendações de matérias importantes, que vão te deixar ainda mais informada sobre o universo do seu filho. Confira os cinco melhores links desta semana!

 

Como envolver as crianças na organização do próprio quarto

12.11| Infância

Como envolver as crianças na organização do próprio quarto

Para muitas mães, casa arrumada por muito tempo vira um luxo. Então que tal colocar as crianças para ajudarem? Incentivar hábitos de organização é importante, uma vez que as tarefas ajudam a ensinar responsabilidade e obediência, qualidades que serão importantes para elas no futuro. Confira as dicas de como envolver as crianças na organização do próprio quarto:

Como essa habilidade não é uma coisa que seus filhos vão aprender de uma hora para outra, os pais precisam ter muita paciência durante o processo. A criança precisa entender que, ao final de uma atividade, é necessário colocar as coisas nos respectivos lugares. Mas para isso acontecer, antes defina um espaço para tudo. É importante também que você explique o motivo da tarefa e as vantagens adquiridas após a conclusão dela.

Comece delegando uma tarefa, a princípio ajudando sempre que for preciso. Com o passar do tempo, aumente a quantidade de tarefas que ela ficará responsável. Para ajudar a convencê-la, uma ótima tática é fazer com que a hora da organização fique mais divertida. Por exemplo: após uma tarde de diversão, diga que os brinquedos também precisam descansar e sugira que a criança os coloque para dormir. Além disso, é válido cantar ou inventar músicas, criar desafios (se a criança tiver um estilo mais competitivo) ou qualquer outro método que funcione.

Uma forma bem legal de estimular a criança a deixar o quarto dela mais limpo e organizado é fixar um esquema de tarefas por semana. Cada dia em que todas as tarefas forem completadas, a mãe faz uma marcação na tabela (com canetas ou adesivos). Ao final da semana, se tudo estiver marcado, a criança pode ganhar um prêmio ou escolher o almoço do final de semana. Com isso, ela vai se sentir útil e vai colaborar para que o ambiente fique mais bonito.

A Denguinho criou um checklist para que você não tenha o trabalho de elaborar um esquema ou tabela. É só baixá-lo pelo link e imprimir: Checklist Organização do Quarto

Nele, há linhas em branco que você pode preencher de acordo com as responsabilidades que a criança é capaz de realizar. Abaixo, algumas opções de tarefas e as respectivas indicações etárias:

– Colocar a roupa suja no cesto: 2 a 3 anos de idade
– Colocar os brinquedos no lugar: 2 a 3 anos de idade
– Arrumar a cama: 4 a 5 anos de idade
– Guardar os calçados: 4 a 5 anos de idade
– Jogar o lixo no lugar correto: 4 a 5 anos de idade
– Organizar material escolar: 6 a 7 anos de idade
– Dobrar e guardar roupas limpas: 8 anos de idade ou mais
– Deixar o armário organizado: 8 anos de idade ou mais

Links da Semana #38

07.11| Links da Semana

Links da Semana

A cada semana, você encontrará recomendações de matérias importantes, que vão te deixar ainda mais informada sobre o universo do seu filho. Confira os cinco melhores links desta semana!

 

Alimentação do bebê: quando trocar o leite materno pelos alimentos sólidos?

04.11| Recém-Nascidos

Alimentação do bebê

Uma dúvida que costuma preocupar pais e responsáveis é sobre o momento certo de trocar o leite materno pelos alimentos sólidos. Recomenda-se que a alimentação do bebê seja feita apenas com leite materno durante os 6 primeiros meses de vida. Nele contêm todos os nutrientes que o recém-nascido precisa para ficar saudável.

A partir dos 7 meses, os pais podem começar a substituir gradualmente as refeições da criança, observando a reação aos novos sabores. Os pais precisam ficar por perto sempre, prestando atenção para socorrer rapidamente em casos de engasgo.

Além do tempo de vida, outro modo de saber quando o bebê está pronto para essa transição é atentar se ele já consegue realizar os seguintes itens: manter a cabeça erguida, fazer movimentos de mastigação, ficar apoiado enquanto está sentado e mostrar curiosidade em relação à comida dos pais.

Então, é hora de entrar em ação. Há duas técnicas de apresentação dos alimentos sólidos:

Forma tradicional
A maioria dos pais costumam optar por essa maneira de fazer a troca. Nela, os alimentos são introduzidos aos poucos, um por vez, para dar tempo ao bebê de se habituar com sabores e texturas diferentes. De acordo com especialistas, esse é o jeito que garante maior variedade de nutrientes.

Uma dica é oferecer uma novidade a cada dois ou três dias, começando com frutas, seguida de legumes e verduras. No início, o melhor é peneirar, ralar, amassar, raspar ou espremer a comida. Comece com sucos e papinhas e depois vá alterando gradualmente a consistência, até acostumar.

Baby-lead Weaning
Popular em países estrangeiros, essa forma de transição não utiliza colheres ou papinhas e mingaus nas refeições. Após a retirada de cascas, sementes e caroços, os alimentos são picados em tamanhos diferentes e servidos à criança, cozidos ou crus.

A técnica possibilita que o bebê crie um interesse pela novidade e decida o que quer comer, na velocidade que desejar. Por isso, é necessário evitar pressão ou apressar o momento de descoberta. Desse modo, a curiosidade é desenvolvida e a mastigação incentivada.

E qual dessas duas formas é a melhor?
Você pode fazer um teste para ver com qual delas a criança se adapta melhor ou ainda intercalar ambas para que o pequeno obtenha todos os benefícios e continue crescendo com saúde.

Veja também:

Amamentação: mitos e verdades

Amamentação: mitos e verdades 2

Links da Semana #37

30.10| Links da Semana

Links da Semana

A cada semana, você encontrará recomendações de matérias importantes, que vão te deixar ainda mais informada sobre o universo do seu filho. Confira os cinco melhores links desta semana!

 

Qual é a importância do Teste do Pezinho para os bebês?

28.10| Recém-Nascidos

Qual é a importância do Teste do Pezinho para os bebês?

O bebê acabou de nascer e a comemoração da família é intensa. É necessário lembrar, porém, de levar o seu denguinho ainda na primeira semana para fazer o Teste do Pezinho, um exame obrigatório em todo o território nacional há mais de 20 anos.

Também chamado de Triagem Neonatal, o teste é feito entre o 3˚ e 7˚ dia de vida do bebê. Muitas doenças não apresentam sintomas no início, por isso o exame é muito importante para identificar, prevenir sequelas e iniciar o tratamento precoce de doenças genéticas (transmitidas pelos genes dos pais) ou doenças congênitas (desenvolvidas no útero durante a gestação).

O teste é rápido e não causa sofrimento ao recém-nascido. Nele, são retiradas pequenas gotas de sangue do calcanhar do bebê. O exame pode ser feito na própria maternidade ou hospital, além dos postos de saúde.

Há duas opções de triagem, a básica e a ampla, que detectam as doenças abaixo, sendo que a quantidade de doenças verificadas varia de acordo com a cidade:

  • Anemia falciforme: doença hereditária que pode levar a alterações em todos os órgãos e sistemas do corpo;
  • Deficiência de biotionidase: pode levar a convulsões, falta de coordenação motora, atraso no desenvolvimento e queda dos cabelos;
  • Fenilcetonúria: uma doença que causa um comprometimento neurológico no desenvolvimento da criança;
  • Galactosemia: doença que faz com que a criança não consiga digerir o açúcar presente no leite, podendo levar a um comprometimento do sistema nervoso central;
  • Deficiência de glicose 6-fosfato desidrogenase: facilita o aparecimento de anemias, que podem variar de intensidade;
  • Hipotireoidismo congênito: doença que pode levar à deficiência mental e a malformações físicas;
  • Hiplasia adrenal congênita: doença que faz com que a criança tenha uma deficiência de alguns hormônios e um exagero na produção de outros, que pode, inclusive, levar à morte;
  • Toxosplamose: doença que pode ser fatal ou levar à cegueira, icterícia (pele amarelada), convulsões ou retardo mental;
  • Fibrose cística: doença que leva à produção de uma grande quantidade de muco, comprometendo o sistema respiratório e afetando também o pâncreas.

Para escolher qual dos dois tipos de triagem é a melhor alternativa, é recomendável ter uma conversa com o pediatra que acompanhou a gravidez. O especialista vai se basear em itens como histórico familiar, o desenvolvimento da gestação e a incidência de determinadas doenças na região para fazer essa indicação.

Os resultados do Teste do Pezinho são disponibilizados em um mês após a coleta do material. Tomando este cuidado, você estará dando mais um passo para criar uma criança saudável e feliz.

Fonte: Baby Center, Tua Saúde e Site do Dr. Drauzio Varella

Links da Semana #36

24.10| Links da Semana

Links da Semana

A cada semana, você encontrará recomendações de matérias importantes, que vão te deixar ainda mais informada sobre o universo do seu filho. Confira os cinco melhores links desta semana!

 

Dicas para a montagem do quarto do bebê

21.10| Gestação

Dicas para a montagem do quarto do bebê

Durante a gravidez, é importante preparar com bastante carinho os detalhes para a vinda do bebê. Pensando nisso, você pode antecipar o planejamento e colocar em prática o necessário para organizar o quartinho. Recomenda-se que isso seja feito até o quinto mês de gestação, evitando que o tamanho da barriga nos últimos meses interfira no acompanhamento do projeto. Confira abaixo as dicas para a montagem do quarto do bebê:

– Defina qual será o estilo do quarto do seu denguinho. Em alguns casos, os pais costumam esperar para saber o sexo do bebê para fazer essa escolha. De qualquer maneira, pense se o ambiente terá um tema específico. Exemplos de temas: animais, litoral, esportes, personagens infantis (TV ou livros).

– O próximo passo é pensar quais serão os móveis e outros objetos funcionais ou de decoração que farão parte do local. Para se organizar melhor, escreva no papel os itens que vierem à cabeça e vá separando os que são indispensáveis daqueles que são opcionais. Lembre-se que investir nos itens do primeiro grupo costuma render maiores benefícios no futuro.

– Em grande parte dos casos, os móveis principais são: berço, guarda-roupa, trocador + cômoda e cadeira para amamentação. É possível também pensar em móveis que tenham mais de uma função, permitindo uma economia maior no bolso dos pais.

– Caso não seja tão fácil lembrar dos itens indispensáveis e opcionais, a melhor dica é buscar inspirações na internet. Sites de compartilhamento de imagens como o Pinterest ajudam – e muito! – a mexer com a imaginação e a criatividade do casal em termos de decoração.

– Com tudo definido e organizado, é hora de fazer o orçamento! Verifique qual é a verba disponível e comece a procurar preços, marcas e lojas, tanto físicas quanto online.

– No plano criado por você, será necessário fazer alguma reforma ou ajuste? Quais serão elas: aplicações em gesso? nova iluminação? esquema elétrico diferente do atual? pintura? Faça uma pesquisa sobre os profissionais que farão parte do processo antes da contratação.

– Tire as medidas do quarto e anote a localização e a área ocupada por janelas, portas e vãos. Separe um lugar para cada item da decoração e não se esqueça de deixar um espaço para a circulação de pessoas. Com o planejamento em mente, compre ou faça a encomenda dos móveis e objetos. O prazo de entrega das lojas costuma variar entre 30 e 60 dias, dependendo da disponibilidade em estoque.

– A pintura pode ser feita com tintas sem cheiro e que sejam fáceis de limpar no futuro. Uma dica é aplicar papéis de parede ou tecidos para deixar o ambiente mais interessante.

– Escolha cortinas leves, persianas ou black-outs e luminárias que permitam controlar a intensidade da iluminação. É recomendável que todos os materiais comprados sejam impermeáveis e antialérgicos.

– Após os passos anteriores, comece a mexer com a decoração do local: pelúcias, brinquedos, móbiles, almofadas, entre outros. A lista completa de enxoval pode ser conferida aqui.

– Para aqueles pais que querem colocar o nome e/ou informações sobre o nascimento do bebê no quarto, existem várias ideias interessantes e criativas. Além de pintar direto na parede, você pode utilizar adesivos de parede, emoldurar um quadro, organizar blocos de madeira com as letras ou pendurar móbiles. Veja mais ideias na galeria abaixo.

Como controlar o tempo e o conteúdo que o seu filho vê na TV?

15.10| Infância

Como controlar o tempo e o conteúdo que o seu filho vê na TV?

A televisão é um eletrônico tão comum nas casas que quase pode ser considerado parte da família. As crianças, atraídas pelas imagens coloridas e pelos sons e músicas, acabam passando bastante tempo em frente ao aparelho, muitas vezes sem a supervisão de um adulto. Outra situação corriqueira é a rotina corrida dos pais, que acabam deixando o filho se distrair com desenhos e programas infantis por horas.

O hábito de passar o dia assistindo à televisão é prejudicial à saúde. Ficar muito tempo na mesma posição pode causar danos à musculatura e reduzir o desempenho nas atividades físicas. Em algumas crianças, isso ainda interfere no controle do peso e no crescimento.

Durante essa atividade, é normal que a criança se alimente incorretamente com alimentos pobres em nutrição e que não proporcionam sensação de saciedade, como salgadinhos e doces, levando à tendência de comer sempre mais. Isso faz com que ela fique mais suscetível a problemas de saúde como diabetes e hipertensão.

A questão é: como controlar o tempo e o conteúdo que o seu filho vê na TV? Seguem algumas dicas que vão te ajudar a fazer essa supervisão:

– A limitação dos horários não pode dar a impressão de que é uma imposição, uma decisão rígida dos adultos. Explique a situação para seus filhos e abra o diálogo para que eles possam tirar dúvidas. Assim, eles terão muito mais facilidade em seguir o que foi proposto.

– Não adianta nada, porém, a regra ser válida para as crianças e não valer para os pais. Dar o exemplo é fundamental, então é necessário que os adultos tomem cuidado para não passar todo o tempo livre em frente à TV.

– Apesar de ter programas educativos, essa não pode ser a única fonte de formação da criança além da escola. O aprendizado também é adquirido com brincadeiras dentro e fora de casa, durante a leitura, em passeios e em outras atividades. Que tal apresentar e incentivar seus filhos a trocarem alguns horários de TV por outras opções igualmente divertidas? Então comece hoje mesmo.

– Leve em consideração a classificação indicativa dos programas que eles estão assistindo na TV a cabo e bloqueie tudo aquilo que não for adequado à idade deles. Nas redes abertas, lembre-se também de que quanto mais tarde forem os programas, maior é a quantidade de conteúdo impróprio para a faixa etária a qual eles pertencem.

– O conteúdo também é um ponto relevante. É sempre bom analisar as mensagens transmitidas e os temas abordados nos desenhos e programas infantis preferidos dos seus filhos. Pense se aquilo que ele está vendo entra em acordo com os princípios e valores ensinados na sua casa.

– Desligue a TV durante as refeições, pois isso acaba refletindo na forma como a criança se alimenta.

– Por fim, esta é uma tarefa que precisa envolver não apenas a família, mas sim os parentes e outras pessoas que costumam cuidar das crianças de vez em quando. É importante conversar com os outros responsáveis para que eles possam seguir as recomendações enquanto os pais não estiverem por perto.

Links da Semana #35

10.10| Links da Semana

Links da Semana

A cada semana, você encontrará recomendações de matérias importantes, que vão te deixar ainda mais informada sobre o universo do seu filho. Confira os cinco melhores links desta semana!

 

Página 30 de 37« Primeira...1020...2829303132...Última »