Vale a pena fazer um álbum do bebê?

São tantas as emoções que envolvem o milagre da gestação, não é verdade?! Sentimentos que, na maioria das vezes, só os papais conseguem entender. A alegria de descobrir que serão pais, o primeiro ultrassom, o som do coraçãozinho batendo, a compra das roupinhas, os olhares de admiração para a barriga, imaginando como será aquele pequerrucho correndo pela casa.

Uma das melhores formas de registrar e eternizar esses pequenos, porém grandes e mágicos, momentos é por meio de um álbum de bebê. Além do fator nostálgico e da sensação tátil de folhear, tocar nas fotos e nos demais itens colocados, cada vez que você o pegar para dar uma folheada, provavelmente será transportado no tempo para aqueles dias maravilhosos.

E não podemos de deixar de citar, é claro, que um álbum de bebê é uma forma muito sentimental de mostrar para o seu filho o quanto ele foi amado e como cada pequena coisinha que ele fazia era motivo para colocar aquele sorriso bobo na cara dos papais babões.

Qual modelo escolher?

Primeiramente, você pode optar por usar um álbum tradicional ou aqueles em estilo scrapbook, que permitem customização. Há aqueles próprios para bebês que já vem com os espacinhos para preencher. Mas se fosse prefere algo mais “faça você mesmo”, pode comprar um caderno em branco e personalizar como preferir.

O que não pode faltar no álbum do bebê?

É bem provável que nos últimos meses da gestação e logo após o neném nascer, você não terá muito tempo para se dedicar ao álbum. Por isso, a dica é deixar uma caixinha estratégica e colocar as coisinhas lá dentro, como: pulseirinha da maternidade, teste de gravidez, ultrassom, convites, cartões dos amigos, lembrancinhas, algo do batizado, etc. Assim, você não perde nada e pode preencher o álbum quando conseguir. Outra coisa bem legal é guardar um jornal do dia que a criança nasceu!

Aposte nas fotos

Quanto as fotos, tire quantas puder. Só tome cuidado com flashes, pois podem incomodar os olhinhos sensíveis dos pequenos, e também com as poses (lembre-se que eles são todos molinhos e delicados, pois a estrutura óssea ainda não está toda formada). Por isso, cuidado para não ficar mexendo muito na criança. A dica é pegar momentos naturais: soninho, chorinho, chupando o dedinho, tomando banho, mamando, fazendo carinha de bravo.

E não esqueça dos detalhes: tire foto dos dedinhos, pezinhos, boquinha, narizinho, dobrinhas gostosas de morder, enfim, tudo aquilo que a criatividade deixar. Depois, você pode organizar as fotos em um mosaico, por exemplo.

Para os papais high-tech

É óbvio que não podemos ignorar os benefícios do mundo digital. Como você terá um espaço limitado no álbum do bebê, um conselho é comprar um pendrive com muito espaço para armazenar fotos e vídeos da criança. Outra coisa legal é montar um blog: lá, você pode narrar experiências de vida, como foi contar para a família sobre a gravidez, escrever sobre os anseios e sentimentos. E claro, postar muitas fotos nas redes sociais do seu bebê lindo e marcar a gente!